Poema Sem Presa.

28 jul
Tudo aquilo seco
Seca o traço do abraço amarrotado
Da fina estampa encorajada.
Lenta calmaria. Sem rosto resta o nada.
Alma sem sonhos.
Do ideal planejado de felicidade combinada.
Egocêntrico jeito de felicidade só.
Sol de fim de tarde na fina areia
Lembra tudo outra vez.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: