Cirilo – Conto baseado na Pintura em tela de Antônio Parreiras.

22 jan

O tempo havia passado e o cenário daquele balneário corroia-lhe a alma descrente. A tragédia companheira e permanente fora agora mais implacável.
Antes de tal episódio, o estranho amor de Cirilo surpreendia Anabela.
Por que não aceitar um amor que se impõe, se dá, se oferece?
Num dia, a manhã estava com aquele solzinho de inverno e azul. Anabela o esperava escrevendo versos de amor, mas que sua loucura habitual, inflamando seu peito, o impediram mais uma vez de viver tal felicidade.
Enlouquecido de ciúme ao ver Anabela às escondidas com papel e lápis nas mãos, imediatamente recuou. Sem razão para aqueles sentimentos derivados do ciúme, Cirilo sai sem ser visto para afogar as mágoas no copo de conhaque. Em sua face às lágrimas faziam continências e um obscuro olhar lhe franzia a fronte.
Por que o ciúme é capaz de causar em Cirilo um efeito trágico, alimentado de uma incerteza?
A mentalidade doentia e machista de Cirilo o faz pensar que sua esposa, Anabela, teria um amante e em seus pensamentos insanos não cabem outro nome senão seu rival Isaías. O ciúme vai operando aos poucos a sanidade de Cirilo. Mesmo sem provas concretas que poderiam dar como certo o envolvimento entre a amada e Isaías o que está em jogo é conviver com o fato de que sua esposa seja infiel.
Aproveitando-se da fraqueza daquele homem, João Brabo, seu inimigo, não se fez de rogado e tratou de envenená-lo contra Isaías. Contando-lhe das vezes que Anabela o visitou para saber de Isaías.
Naquela noite, Cirilo não volta para casa. Anabela sem nada saber, o procura nas redondezas e logo fica sabendo do estrago que o mesmo provocou em casa de Isaías. Somente João sabia os motivos, que ele mesmo ajudou a criar, mas, bancando de bom moço, levou Anabela para conversar com Isaías, a fim de pedir-lhe desculpas pelo marido. Tudo não passando de um plano para deixá-los a sós. João, malévolo e egoísta, sai em busca de Cirilo para armar sua empreitada final.
João Brabo é do tipo de homem incapaz de aceitar uma perda. No passado a mulher por quem ele dizia suprir amor, o deixara por Isaías. Agora juntando seu rol de inimigos planejava, enfim derrotá-los.

Entretanto, Isaías e Anabela supriam um pelo outro um sentimento fraternal por terem crescidos juntos e serem amigos desde a infância.
O que não impedia João de se valer da situação para prejudicar estes dois homens.
A discórdia estava lançada. Anabela, aflita, aguardava notícias ao lado de Isaías. Enquanto isso, Cirilo seguia ao encontro deles com sua arma em punho. Nada poderia detê-lo de cometer tamanha injustiça. Adentrou a sala de visitas e descarregou sobre eles meia dúzia de tiros. Aos prantos, antes que Anabela desse seu último suspiro, perguntou-lhe:
– Por que me traiu, se eu te amava tanto?
E deixou o local do crime banhado de lágrimas e de sangue. A galope, horas mais tarde, foi pego pela polícia.
Vinte anos se passaram. Aquela cena terrível lhe consumia o ser.
Cirilo não sabia, mas Isaías salvou-se da empreitada e reunia provas de sua inocência junto à Anabela. Procurava com freqüência saber sobre a situação de Cirilo e logo ficou sabendo que a liberdade já se aproximava.
Depois de tantas idas e vindas, desconfiado de toda aquela história, descobriu que aquele que um dia lhe jurara vingança, poderia ser o mentor do ocorrido; levando para sempre sua amiga querida.
Isaías sabia do amor que Anabela supria por Cirilo e que ela era correspondida. Nunca conseguiu tornar-se amigo dele por causa daquela doença chamada ciúmes, e, por vezes, sem querer era o causador de tantas discussões entre o casal. A amiga sempre lhe fazia confissões. Por isso sofria por saber que involuntariamente foi o culpado por esse desfecho. Entretanto, o que não podia aceitar passivamente era o fato de João andar solto enquanto sofriam.
Foi então, que Isaías resolveu visitar Cirilo ainda na cadeia e lhe contar o acontecido. Diferente do que Isaías esperava aquele não era mais o mesmo homem de vinte anos atrás. Envelhecido e calado, Cirilo foi capaz de ouvir toda a história de cabeça baixa. Não pôs o olhar em Isaías. E assim estando, apenas lhe falou:
– De nada importa, pois a minha vida acabou?
O que se sabe daquele encontro, é que nunca mais se falou nesse assunto naquela região, mas logo após sua soltura, o corpo de Cirilo foi encontrado em baixo de imenso céu azul no mesmo lugarejo que essa história iniciou.
E ao longe, vê-se Cirilo jogado no chão…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: